fbpx

Custom Menu

Latest From Our Blog

Shark Tank Brasil: 5 dicas sobre negociação empreendedora que você pode aprender assistindo - Cris Arcangeli
18102
ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive

Shark Tank Brasil: 5 dicas sobre negociação empreendedora que você pode aprender assistindo

O que o Shark Tank Brasil tem para ensinar?

Bem, no Brasil os reality shows são vistos quase sempre por pessoas interessadas em entretenimento leve e descompromissado, o que é justo.

Porém existem alguns programas no formato reality show que, além de divertir o espectador podem também proporcionar insights interessantes.

Eles também conseguem ensinar técnicas importantes para ajudar no desenvolvimento da lucratividade e sucesso de empresas brasileiras.

Duvida?

Se você tem alguma dúvida, acompanhe a lista que separamos sobre cinco técnicas importantes para empreendedores que assistem ao Shark Tank Brasil:

Empreender diferente, dica número 1: Criatividade.

O programa exige que os empreendedores participantes realizem uma apresentação de produto.

Nesse momento há a chance de falar um pouco tanto sobre o produto quanto sobre a empresa. Então nota-se que as propostas que envolvem as ideias mais criativas, são geralmente as mais bem aceitas. Por vezes, elas arrancam até alguns elogios dos apresentadores.

Nada de enrolação no Shark Tank Brasil. Técnica número 2: Objetividade.

Ao assistir ao programa, perceba a forma como os tubarões reagem às propostas.

Eles fazem perguntas sobre o histórico da empresa e da elaboração do produto, e acredite, isso não é somente pelo storytelling.

Entender o mecanismo orgânico por trás de uma empresa, evidencia se aquela linha de processos está mais ligada a uma tendência de mercado, ou se se trata apenas de moda.

Isso é o que faz toda a diferença na hora de descobrir se vale a pena investir ou não no negócio em questão.

Por isso, na hora de apresentar a sua causa, serviço ou produto para os seus parceiros, não se esqueça de ser objetivo.

Prove que a sua empresa responde a uma necessidade crescente no mercado, e não apenas se enquadra em um movimento unilateral de determinado nicho.

Empreender é ser incansável. Dica número 3: Resistência.

Como sabemos, ao escutarem uma ideia os tubarões fazem inúmeras observações. O empreendedor participante precisa ter resistência pra responder a cada uma delas sem parecer cansado ou aborrecido pela insistência.

Afinal, a curiosidade sobre uma empresa nova é natural, e não dá pra injetar capital em um negócio sem saber exatamente no que se está investindo.

Assista ao programa e perceba que os empresários que respondem as questões de forma objetiva, sem hesitação e com segurança, tendem a obter uma resposta mais positiva dos tubarões.

Isso não significa que eles obterão o investimento proposto, em alguns casos esses empreendedores repensam os valores de sua proposta e então o retornam. Desta vez com apresentações mais equilibradas e bem aceitas.

Shark Tank Brasil é empreendedorismo e equilíbrio: Dica número 4: Jogo de cintura.

Outra dica importante que se aprende assistindo o programa Shark Tank Brasil é que o ecossistema empresarial brasileiro é altamente criativo. Há setores onde as ideias já estão um passo à frente do que o mercado poderia imaginar.

As inovações apresentadas no programa representam, muitas vezes, grandes saltos tecnológicos que revolucionam os processos que estamos acostumados a ver.

Tudo isso quer dizer que o brasileiro não se limita ao modelo convencional de negócio, e as ideias são cada vez mais ousadas.

O empreendedor que assiste ao programa Shark Tank Brasil pode e deve se sentir impulsionado. Tanto para seguir o mesmo ritmo de mudança e inovação quanto para se atualizar. Notando que as ideias que parecem mais inusitadas muitas vezes podem alcançar excelentes avaliações.

E o mercado está ávido por esse tipo de inovação.

Dica 5: Precificação.

Estabelecer a precificação, na maior parte das situações, é o calcanhar de Aquiles do empreendedor.

E não é por acaso.

O preço é um dos pilares que sustentam os processos de uma empresa. Assim, a precificação é o que faz boa parte dos empreendedores do programa saírem de lá com respostas negativas.

Perceba que os apresentadores questionam a respeito da precificação. Entretanto, quando não obtêm respostas satisfatórias, eles tendem a duvidar de todo o resto do conteúdo.

Por isso reconsidere os seus preços e propostas. Tanto para o mercado quanto para os seus possíveis parceiros.

O empreendedor precisa pensar no seu produto não só como ganho para si próprio, mas também como solução para clientes finais. Uma oportunidade realmente interessante para os seus parceiros.

Mantenha-se informado.

Outra coisa que pode ser apreendida com o programa Shark Tank Brasil são técnicas de apresentação. Perceba que a forma como os empreendedores mostram o seu negócio segue um método preciso.

Primeiro uma demonstração de como produto funciona, e então falam sobre as suas vantagens para o cliente final.

A prática é tanto ilustrativa, quanto detalhada e pedagógica.

Após isso, os dados sobre o sucesso do produto são mostrados com muita clareza. Fator essencial para que o potencial de vendas nos próximos períodos fique atraente e óbvio.

Assim, os tubarões podem vislumbrar a força do produto em um prazo mais longo.

Em conclusão, basta um olhar empreendedor e analítico para descobrir o que a vivência de outros profissionais tem a ensinar.

E se você quer aprender cada vez mais sobre as técnicas e hábitos dos grandes empreendedores, cadastre-se na nossa plataforma. E receba dicas exclusivas para mulheres de negócio.

3Comentários
  • José/ 21.05.2019

    Muito bom

    Para quem deseja de aprender

  • Tadeu/ 21.05.2019

    Adorei essa forma divulgação se conteudo!!! :)))

  • Paulo/ 21.05.2019

    Cris boa noite. Muitas vezes percebo que vc bate na tecla de explorar ao máximo o mercado interno antes de internacionalização do produto/serviço. Percebo que existe uma linha tênue neste conceito. Muitas vezes o reconhecimento internacional te permite atender grandes marcas no Brasil, por vc estar atuando não só no Brasil mas na Europa ou EUA. Principalmente grandes redes internacionais. Vc concorda com esta estratégia? Abraço

X