fbpx

Custom Menu

Latest From Our Blog

O que ainda não te falaram sobre inovação - Cris Arcangeli
2339
ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive

O que ainda não te falaram sobre inovação

O que ainda não te falaram sobre inovação

Você não precisa ser o Bill Gates ou o Steve Jobs para inovar. Você não precisa criar a nova Microsoft ou Apple para se destacar em seu mercado e ser um empreendedor bem-sucedido.

Criou-se um mito em torno do tema empreendedorismo-inovação. A inovação nem sempre se resume a criar um produto ou negócio mirabolante. O conceito inovar pode ser praticado no dia a dia do empreendedor e até negócios já consolidados com produtos populares podem inovar.

Inovação para o mundo real

Costumo viajar quando quero criar alguma coisa. Então eu sento no parque, observo as pessoas passeando, as crianças brincando, analiso o comportamento das pessoas andando no metrô ou entrando e saindo do ônibus… observo os namorados nos restaurantes, reparo as bolsas que mulheres estão carregando e como as pessoas se vestem e se portam em cada um desses lugares.

Depois começo a observar os estabelecimentos que estão “bombando”, porque estão “bombando”, o que estão fazendo de diferente. Ando nas ruas com os olhos nas vitrines, nos outdoors, nas etiquetas…

Quando você começa a olhar o comportamento das pessoas em lugares diferentes, em culturas diferentes, você começa a antecipar tendências. Não há uma explicação técnica, é um processo empírico, pessoal. Mas o que podemos tirar disso é: observar as necessidades e desejos das pessoas é a melhor forma de criar sources para problemas que talvez elas nem saibam que têm.

O erro de alguns empreendedores é acabar elaborando produtos em torno de um “universo imaginário”. A inovação precisa fazer ponte com o mundo real. Nossas iniciativas devem abranger pessoas reais. Parece óbvio, não é? Mas na prática, nem sempre isso fica claro. Esse é o primeiro Pulo da Gata que queria deixar aqui:

Devemos criar produtos e serviços que resolvem uma necessidade ou problema. Criar o que o mercado e o consumidor quer ou precisa, e não o inverso.

Encontre produtos para os seus clientes

Seth Godin, pensador de marketing e autor best-seller, tem uma frase emblemática:

“Não procure clientes para o seu produto – encontre produtos para os seus clientes.”.

Observe, o público vem antes. Quantos empreendedores estão por aí andando em círculos, procurando investidores e clientes para os seus produtos que, na verdade, não tem apelo  para o seu público. Podem ser inovadores no sentido técnico, podem ser fabricados com a última tecnologia, mas não atendem a uma necessidade ou desejo claro.

Há um belo exemplo de marca que conquistou o sucesso trabalhando com foco no que o cliente precisa e deseja: a Apple. As novidades lançadas no mercado por eles na época  foram minuciosamente estudadas para priorizar a experiência de seu consumidor. E hoje, continuam a antecipar, na grande maioria das vezes, tendências e necessidades.

A Apple é uma organização que não apenas tem clientes, mas fãs. São os chamados “applemaníacos”. É por isso que conseguem cobrar um preço alto por tecnologia mesmo com concorrência semelhante no mercado.

Tudo o que a empresa desenvolve prioriza a experiência do futuro usuário. O maior critério é que as decisões que não contemplam a satisfação e uma necessidade clara do usuário provavelmente estarão erradas.

É cultura da Apple deixar uma cadeira vazia nas reuniões de diretores. Essa cadeira representa o consumidor. Tudo o que é decidido nessas reuniões passa pelo crivo do “amigo imaginário” deles. Esse é um belo exemplo de como conhecer bem seu público pode gerar resultados indiscutíveis quando o assunto é inovação.

Quebra de regras e reinvenção

Segundo Christopher Freeman, inovação é o processo que inclui as atividades técnicas, concepção, desenvolvimento, gestão e que resulta na comercialização de novos − ou melhorados − produtos.

Se você tem uma fábrica de aços, talvez não deva fechá-la para testar uma tecnologia que nunca foi testada. Há como inovar nessa fábrica melhorando os processos e os serviços. A inovação requer “quebra de regras”, e geralmente associamos essa “quebra” a algo completamente novo. Mas reinvenção também é um conceito que deve entrar em cena quando falamos em inovar.

Tecnologias surpreendentes no motor, nos ajustes de bancos e espelhos, direção semi autônoma, com sensores e radares ultra modernos conectados, conectividade para resolver a vida com segurança, sem tirar as mãos do volante e os olhos da pista. Essas são algumas inovações que a Ford, fundada em 1903, colocou no mercado recentemente em seus automóveis. Isso é reinvenção.

É para agora, é para todos os dias

Foi-se o tempo da “inovação como onda”, onde os mercados esperavam tendências para criar produtos ou empresas. Inovar, na atual era, tem que ser todo dia, seja você um empreendedor que está lançando algo novo, ou você, que já tem uma empresa consolidada no mercado.

Portanto, inove pensando no seu público, inove buscando produtos para seus clientes e não clientes para os seus produtos, inove não apenas criando algo novo e mirabolante, mas se reinventado, inove todos os dias. Isso é o que talvez nunca tenham falado para você sobre inovação. É por isso a única tatuagem que eu tenho está escrita: TRANSFORMAÇÃO.

Adoro transformar mercados e estou em eterna transformação! Caixa de ferramentas

Sem comentários

Desculpe, mas este post não permite mais comentários

X